Fap fap fap

NoFap

Acabou setembro e, com ele, o NoFap September.

Mas se você perdeu esta oportunidade, mãos à obra que ainda dá tempo de se engajar no NoFap October, November, December…

Se não faz ideia do que seja esse tal de NoFap, vou dar uma mãozinha.

NoFap é um movimento antimasturbatório.

Quer dizer, um não-movimento, porque o que não se pode é justamente movimentar.

Quem foi adolescente nos anos 60, 70 sabe que masturbação fazia nascer pelos nas mãos, dava espinhas no rosto, enfraquecia o espírito e só não causava tuberculose porque esse sintoma já tinha saído de moda nos anos 40 ou 50.

Nos anos 2010, o vício solitário provoca baixa de testosterona, disfunção erétil, perda de tempo e obscurecimento mental. Ou seja, um apigreide e tanto.

Não entendo como ainda não surgiu um estudo científico comprovando que masturbar-se é a principal causa de uso de tênis colorido, camiseta, boné virado para trás e aparelho nos dentes.  É questão de tempo.

O NoFap pode ser praticado em 3 modalidades: a básica (abstenção de pornografia), a intermediária (abstenção de pornografia e de masturbação) e a avançada (avançada? É a mais retrógrada de todas: sem pornografia, sem masturbação nem orgasmo).

Os depoimentos de quem virou o jogo do 5 contra 1 são tão críveis quanto os de quem conseguiu perder 30 kg, aumentou o pênis em 9 cm e aprendeu a regra do hífen – tudo em uma semana, e só tomando fitoterápico:

“Notei várias mudanças: a minha voz fica mais profunda eu fico mais carismático; mais magnético, os homens e as mulheres gostam de se comunicar comigo, minha pele fica melhor e, em geral eu tenho mais energia e as minhas emoções e pensamentos ficam mais facilmente sob controle.”

Nada muito diferente do que preconizava o dr. Georges Surbled, autor de um dos meus livros preferidos, o “Conselhos aos Rapazes” (tenho a edição portuguesa, de 1954).

Ali ele diz que “Os órgãos sexuais do homem (…) denominam-se com toda a propriedade órgãos vergonhosos. Acusam eles a concupiscência, que foi o triste fruto do pecado original”. “Qual a razão por que se consideram mais importantes mais nobres que os órgãos intestinais e urinários, aos quais estão intimamente ligados? Menos preciosos que estes, apenas têm um fim: a geração; e não devem visar a esse objetivo nem realizá-lo senão no matrimónio. Fora disso, para todo o homem que se preza, eles não se destinam a coisa nenhuma.” “O celibato (…) não só não abrevia a existência, mas, também, prolonga dum modo notável a vida dos eunucos voluntários.”

Antecipando o nofapismo, o pudico dr. Surbled era duro em suas opiniões; “O repouso absoluto dos órgãos genitais impõe-se. Infringiria gravemente o dever e expor-se-ia aos piores perigos, quem distraidamente levasse lá uma mão, por divertimento ou ociosidade, sobretudo exercendo fricções repetidas sem um fim justificável. (…) É um crime contra a natureza. E esse crime é proibido pela lei religiosa e pela medicina, que nele vê a sinistra origem das doenças mais graves, e até às vezes mesmo um perigo mortal.”

Como se livrar disso? Evitando os cafés e botequins – onde há más companhias, vinho, mulheres e tabaco. Evitando colchões moles e cobertores (ficar na cama mais que o estritamente necessário é “muito prejudicial à saúde e indigno dum homem”). Evitar banhos quentes e perfumes (“Deixem-se de ser maricas e não copiem das meninas este defeito que as desfeia e prejudica”). Desviar os olhos “das gravuras obscenas, dos postais ilustrados, dos quadros ou das estátuas que excitam os sentidos e perturbam o coração”.

Dr. Surbled deve estar gozando no túmulo a satisfação de ver suas ideias recuperarem a potência neste ano da graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2019. E sem precisar ameaçar ninguém com o fogo do inferno.

A cruzada contra o “vício predilecto” agora tem saite e atende pelo nome de NoFap. Que nem é sigla (No Friction and Pleasure? No Flogging a Prick? No Fondling a Popsicle? No Fooling Around, People?), como eu pensava – mas uma onomatopéia para a diversão mais barata jamais inventada: fap fap fap.

Mas quem se masturba fazendo fap fap fap realmente deve estar fazendo alguma coisa errada (e fazendo errado). Devia parar e aprender como se faz direito.

 

2 comentários em “Fap fap fap

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s